sexta-feira, 23 de março de 2012

Aprenda a ler TABLATURAS .


CLIQUE AQUI E VAH DIRETO PARA O MEU CANAL NO YOUTUBE.

As tablaturas são a maneira mais simples de representar solos de violão e guitarra.

         Assista ao video para entender melhor : 



No primeiro contato com as tablaturas é necessário saber que existem 6 linhas paralelas onde cada uma representa uma corda do violão. De cima para baixo, a primeira linha representa a primeira corda (mizinho), enquanto a sexta linha representa a sexta corda (mizão). Veja abaixo uma representação de tablatura sem nenhuma nota:

e|---------------|-----------------------|-----------------|
B|---------------|-----------------------|-----------------|
G|---------------|-----------------------|-----------------|
D|---------------|-----------------------|-----------------|
A|---------------|-----------------------|-----------------|
E|---------------|-----------------------|-----------------|
A partir dessa representação, cada número inserido nas linhas representa a casa a ser tocada em sua respectiva casa, sendo o número 0 (zero) uma indicação de que a corda deve ser tocada solta.
Os números representados na mesma coluna, ou seja, na mesma direção vertical, devem ser tocados no mesmo instante.
Veja um exemplo de tablatura:
e|---0-----1-----|------3---------5------|-----------------|
B|---------------|------3----------------|---------5-------|
G|---------------|-----------------------|-----------------| 2x
D|---------------|-----------------------|-----------------|
A|---------------|-----------------------|-----------------|
E|---------------|-----------------------|-----------------|
A seqüência acima deve ser tocada da seguinte maneira:
A primeira corda (mi) deve ser tocada solta (nota mi);
A primeira corda (mi) deve ser tocada na primeira casa (nota fá);
A primeira corda (mi) deve ser tocada junto com a segunda corda (si) na terceira casa (notas sol e ré);
A primeira corda (mi) deve ser tocada na quinta casa (nota lá);
A segunda corda (si) deve ser tocada na quinta casa (nota mi).
A tablatura é uma representação prática de solos, portanto não possui marcação de tempos. A noção de intervalo de tempo é passada através da distância entre os números.
A notação de repetição pode ser feita do lado direito da tablatura, como por exemplo “2x” representa que a seqüência acima deve ser tocada duas vezes.

CURIOSIDADES : A HISTÓRIA DO VIOLÃO NO MUNDO E NO BRASIL .

http://www.youtube.com/aulas.instrumentos/violao


A história do violão que hoje conhecemos, começou a ser descoberta há aproximadamente dois mil anos antes de Cristo.
Os arqueologistas encontraram placas de barro com figuras seminuas tocandoinstrumentos musicais, muito similares ao violão atual (1900-1800 a.C), na antiga Babilônia.  Um exame mais detalhado nos mostra que há diferenças significativas no corpo e no braço.
Além de possuir algumas diferenças principalmente no corpo do instrumentoe no braço, o fundo é chato e com isso não há nenhuma relação com o alaúde, de fundo côncavo. As suas cordas são pulsadas com a mão direita, e onúmero de cordas não se dá para precisar,  mas em algumas placas pelo menos duas cordas são visíveis.
Outras descobertas de instrumentos semelhantes ao violão foram encontradas em cidades como Assíria, Susa e Luristan.
Os instrumentos de cordas pulsadas que hoje conhecemos, tiveram sua origem histórica a partir da Lira, instrumento de cordas usado pelos antigos Gregos e Egípcios.
O violão é conhecido mundialmente como guitarra e faz parte do grupo de instrumentos de cordas pulsadas, que são classificados em:
providos de haste ou braço (Guitarra, Alaúde, Vihuela) e
sem haste ou braço (Harpa, Lira).
A origem do violão (guitarra), é muita confusa e provavelmente tenha se originado na mesma época em que se criaram os instrumentos de cordaspulsadas como o Alaúde, a Vihuela, etc.
Durante a época em que predominou o movimento renascentista na Europa, período esse das grandes descobertas e explorações nas artes, onde o homem passa a ser valorizado, contribuindo dessa forma para o aparecimento doHumanismo.
O período renascentista revive muito da antiguidade dos gregos e romanos, principalmente no tocante as artes e na música que tinha como base os princípios gregos, sendo as formas musicais mais utilizadas para a música vocal, o Moteto, a Missa e o Madrigal, e a música instrumental a Canzona, o Ricercare, a Tocata, a Fantasia e o Tema com Variações.

O instrumento predominante neste período era o Alaúde, com exceção da Espanha, onde o instrumento que dominava era a Vihuela.


Os musicólogos, quando falam sobre a origem da guitarra (violão), citam duas hipóteses prováveis sobre a origem desse instrumento musical. Uma delas é a de que o violão tenha sido derivado do alaúde Caldeu-Assírio que os Egípcios, os Persas e os Árabes levaram junto para a Espanha; a outra hipótese é de que o violão sofreu diversas transformações e adaptações a partir de um instrumento grego denominado Kethara Grega ou Assíria (que foi precursora da Cítara ou Fidícula romana), da Rotta ou Crotta medieval inglesa e, finalmente, da Vihuela que surgiu na Espanha no Século XVI.
É bastante provável que quando os árabes chegaram à Espanha com seusAlaúdes, teriam encontrado lá a vihuela.
Quando analisamos as Cantigas de Santa Maria, do rei Alfonso X, denominado de El Sábio (1221 – 1284), rei de Castela no período de 1221 a 1284, vemos que aparecem ilustrações de dois tipos diferentes de guitarra, uma oval, com incrustações e desenhos Árabes, mas sendo tocada, por um músico Mouro, o que seria a guitarra mourisca; já outra na forma do número oito, com incrustações laterais, tocada por um músico de feições romanas, que seria aguitarra latina ou o precursor do violão.
No século XIV, Guillaume de Machault cita em suas obras a guitarra mourisca e a guitarra latina no século XVI na Espanha, a guitarra mourisca, com quatro coros de cordas, era usada para acompanhar cantos e danças populares, enquanto que a guitarra latina – a vihuela, pertencia ao músicoculto da corte.
Vihuela tinha três denominações distintas: vihuela de mano (em nada diferente do violão atual), vihuela de arco e vihuela de plectro.
Vihuela de mano constava de cinco cordas duplas mais a primeira que era simples. Os vihuelistas além de precursores dos guitarristas do século XVII, foram também criadores de métodos e formas musicais que serviriam de base para toda a música instrumental que viria depois.
Vihuela veio a desaparecer devido à busca de novos recursos e maior intensidade sonora. O povo, porém fiel à guitarra, continua descobrindo novos caminhos para ela, utilizando-a inicialmente para os rasgueados e acompanhamento do canto. Devido ao seu grande uso na Espanha, a guitarrapassa a ser conhecida nos demais países como Guitarra Espanhola, sendo que o seu período de triunfo ocorrerá no século XVII.


O primeiro instrumento de cordas que se tem notícias que chegou aoBrasil foi a viola de dez cordas ou cinco cordas duplas, muito popular entre os portugueses e precursora do violão, trazida pelos jesuítas portugueses que aqui chegaram para catequisar os índios e a usavam durante a catequese.
A primeira notícia que se tem sobre este instrumento no Brasil, ocorre no século XVII em São Paulo, vendida por um preço exorbitante na época, por dois mil réis e pertencente a um bandeirante chamado Sebastião Paes de Barros.
Sobre a viola, o escritor Mário de Andrade cita em uma de suas obras, um cidadão chamado Cornélio Pires, para quem a viola era um dosinstrumentos que o acompanhava  nas danças populares de São Paulo. A confusão entre a viola e violão começa em meados do século XIX, quando aviola é usada com uma afinação própria do violão, isto é, lá, ré, sol, si, mi.
Mas, o uso da nomenclatura usada como referência ao instrumentoviola/violão, continua conforme  afirma Manuel Antônio de Almeida, autor daMemórias de um Sargento de Milícias (1854-55), quando se refere muitas vezes com terminologia da época do final da colônia, a viola em vez deviolão ou guitarra sempre que trata de designar o instrumento urbano com o qual se acompanhava as modinhas.
Atualmente, a viola passou-se a ser denominada de viola caipira, por ser um instrumento típico do interior do país, e a nomenclatura violão, aoinstrumento que era característico de uso urbano e ter  sua forma atual estabelecida no final do século XIX.
Com isso, o violão passou a tornar-se o instrumento favorito para o acompanhamento vocal, como no caso das modinhas, na música instrumental, acompanhando a flauta e o cavaquinho, e com isso formando a base de um conjunto de chorinho.
violão por ser um instrumento muito usado na música popular brasileira e pelo povo, passou a ter uma má fama, sendo considerado por muitos como um  instrumento de boêmios, presente entre seresteiros,chorões, tornando-se um símbolo de vagabundagem e, carregando consigo este estigma por muitos anos.
Em virtude desta discriminação sofrida pelo violão no Brasil e sua associação, os primeiros que tentaram desmistificar esse ranço pejorativo e discriminatório do violão, divulgando-o como um instrumento sério foram considerados verdadeiros heróis.
Um dos precursores do violão moderno no Brasil foi o fundador da revista “O Violão”, publicando-a em 1928, foi Joaquim Santos (1873-1935) ou Quincas Laranjeira, considerado o “Pai do violão moderno” que nos últimos anos de sua vida dedicou-se a ensinar a tocar o violão pelo método de Tárrega.
violão no Brasil desenvolveu-se, basicamente, em dois grandes eixos da expressão da arte no Brasil: Rio de Janeiro e São Paulo. Onde surgiram a grande maioria dos grandes violonistas brasileiros, que obtiveram sua formação instrumental com os professores que moravam nestas cidades.
Na cidade de São Paulo, através do violonista uruguaio Isaías Savio (1900-1977), que teve sua formação violonística com Miguel Llobet, resultou a fundação de uma das melhores escolas de violonistas da América do Sul, vindo morar no Brasil, em São Paulo, onde desenvolveu a maior parte do seu trabalho fundando a Associação Cultural Violonística Brasileira, e em 1947, e tornou-se professor de violão do Conservatório Dramático e Musical de São Paulo,  fundando a primeira  cadeira de violão no país.
Em 1951, ele participou da fundação da Associação Cultural de Violão de São Paulo, sendo responsável pela composição de  mais de 100 obras para oviolão e cerca de mais ou menos 300 transcrições e revisões, sendo seus trabalhos usados atualmente por muitas escolas de música em todo o Brasil e fora dele.
O Brasil teve e tem a sua própria safra de violonistas, podemos citar:
  • Clementino Lisboa: iniciou as apresentações de violão em público, apresentando o instrumento para a elite carioca;- Joaquim Santos: fundador da revista “O violão”;
  • Aníbal Sardinha: precursor da bossa-nova.
Ainda citamos alguns como Jorge do FusaAmérico JacominoNicanor TeixeiraEgberto Gismonti.
A música brasileira para violão tem por base a pequena obra de Villa-Lobos, que foi um importante compositor e violonista brasileiro, que conta basicamente com 12 estudos sobre violão.


Em outros países que não falam a língua portuguesa, o nome do Violão éguitarra, em inglês diz-se Guitar, em francês Guitare, em alemão Gitarre, em italiano Chitarra e, em espanhol Guitarra.
No Brasil, quando fala a palavra guitarra, estamos nos referindo a um instrumento elétrico chamado guitarra elétrica, isto porque os portugueses que introduziram esse instrumento no Brasil possuem um instrumento que se assemelha muito ao violão e que  equivale á nossa “Viola Caipira”.
Os portugueses possuem um instrumento que possui as mesmas formas e características do Violão, sendo apenas pouco menor, denominado  de viola portuguesa, quando os portugueses viram a guitarra espanhola, que era igual a sua viola (apenas um pouco maior), colocaram o nome do instrumento no aumentativo, de viola para violão.

Notas Musicais - Escala Cromática - Acordes (musical notes) - 音乐笔记

Aula 2 - Notas Musicais - Escala Cromática - Acordes 




Alguns itens que mencionarei aqui ja foram mencionados antes o que é muito bom para um melhor esclarecimento dos assuntos , tentarei esclarecer o maximo possivel sobre melodia , harmonia e ritmo . Primeiramente vamos falar dos sons , os sons possuem propriedades físicas, entre elas a altura, relacionada à freqüência da vibração, que também nos permite classificar os sons em duas categorias básicas: Sons musicais – São as notas musicais. Possuem freqüência regular e pré-estabelecida. Ruídos – Sons irregulares cujas freqüências quase sempre não consideramos importantes (embora sejam!!). Como exemplo de instrumento que produz sons irregulares, podemos citar a bateria. Apesar de ambos os tipos de sons serem plenamente utilizados na música, vamos estudar com mais ênfase os sons regulares, ou seja, as notas musicais e suas relações. Basicamente existem sete notas musicais, que são chamadas notas naturais, cada uma com sua respectiva freqüência de vibração. São elas:



              


Após a nota Si, as nota se repetem, ou seja, após a nota Si, vem a nota Dó, cuja freqüência será o dobro da apresentada na tabela acima. O Intervalo (distância) entre uma nota e a sua primeira repetição acima ou abaixo, é chamado de oitava. A tabela acima tem por base as notas da oitava central da escala geral dos sons.


As notas naturais estão separadas entre si por dois tipos de intervalos (diferença de altura entre dois sons) básicos, são eles: Intervalo de semitom (meio tom) – Localizado entre as nota Mi e Fá e entre as notas Si e Dó. Esta é a menor distância entre dois sons no nosso sistema musical. No Violão este intervalo corresponde à distância de uma casa. Intervalo de Tom – Formado por dois semitons, no violão corresponde à distância de duas casas.



Alem destas sete notas que se repetem sucessivamente, existem mais cinco sons que são chamados de acidentes. Localizam-se entre as notas separadas por intervalo de Tom, dividindo estes intervalos ao meio. Desta forma todos os sons do nosso sistema musical ficam separados por intervalo de semitom que é a menor distância entre duas notas no nosso sistema musical chamado Sistema Temperado. Os acidentes receberão os nomes de suas notas vizinhas, acrescidas de dois sinais especiais que veremos a seguir: # - Sustenido – Faz a nota subir um semitom. b – Bemol – Faz a nota descer um semitom. Desta forma, entre as notas Dó e Ré teremos uma nota que será chamada de Dó# (dó sustenido) ou Réb (Ré bemol). Apesar de possuir dois nomes, trata-se de uma única nota. Quando um único som recebe dois nomes diferentes, chamamos de enarmonia e dizemos que Dó# e Réb são enarmônicos. Ficamos então com uma seqüencia de doze sons separados por intervalos de semitons , o que podemos tambem chamar de escala cromatica , segue abaixo o mesmo esquema da aula 1 que representa isso :
   
FALAREMOS AGORA DE HARMONIA , QUE ESTUDA OS ACORDES , AQUELES POSICIONAMENTOS DIFERENTES QUE A MAO ESQUERDA FAZ ENQUANTO A DIREITA FAZ AS BATIDAS , O RITMO DA MUSICA .

*AGORA como ficam as notas no violão :
De acordo com o nome de cada corda , observe : 
Existem dois principais grupos de acordes : Os maiores e os menoresAcordes : reuniao de notas , em outras palavras , mais de uma nota tocada ao mesmo tempo .

Os primeiros acordes que você deve aprender quando começa a tocar violãosão os acordes maiores. Existem muitas maneiras de se fazer um acorde no violão, mas é importante saber encaixar cada posição na hora certa, conforme o conjunto de acordes utilizado.

Os acordes maiores são formados com as notas 1, 3 e 5 da escala de cada acorde(nos meus videos do youtube eu falo sobre isso) e também são chamados de tríades.

ASSISTA AO VIDEO PARA APRENDER OS PRINCIPAIS ACORDES : 

                              

Segue abaixo as posições mais simples dos 7 acordes maiores:

  • Dó (C)
Acorde Dó Maior
  • Ré (D)
Acorde Ré Maior
  • Mi (E)
Acorde Mi Maior
  • Fa (F)
Acorde Fa Maior
  • Sol (G)
Acorde Sol Maior
  • La (A)
Acorde Lá Maior
  • Si (B)
Acorde Si Maior

Para fazer os acordes: Cada linha representa uma corda, sendo a linha da esquerda a sexta corda.

Os acordes menores são bastante utilizados nas melodias das músicas. Após aprender as posições dos acordes maiores, você pode começar a treinar os acordes menores. A maioria deles não exige uma grande alteração na forma do acorde e geralmente acrescenta ou diminui o uso de um dos dedos a partir do acorde maior.

Assim como os acordes maiores, é possível se fazer um acorde menor de diversas formas, mas é importante saber encaixar cada posição na hora certa, conforme o conjunto de acordes utilizado.

Os acordes menores são formados com as notas 1, 3 e 5 da escala de cada acorde e também são chamados de tríades, assim como os maiores. A diferença para os acordes maiores é que a distância entre a nota 1 e 3 é de 1 tom e meio e entre a nota 3 e a 5 de 2 tons. Nos acordes maiores essa diferença é de 2 e 1 e meio, respectivamente.

Segue abaixo as posições mais simples dos 7 acordes menores


  • Dó menor (Cm)

  • Ré menor (Dm)

  • Mi menor (Em)

  • Fá menor (Fm)
  • Sol menor (Gm)
  • Lá menor (Am)
  • Si menor (Bm)


Para fazer os acordes: Cada linha representa uma corda, sendo a linha da esquerda a sexta corda. 

ABAIXO O PRIMEIRO VIDEO DE AULA DE VIOLAO , SIGA A SEQUENCIA:




Se voce quer saber mais sobre formacao de acordes e diferenca entre maiores e menores , leia mais , abaixo segue umas dicas legais : 


O que são acordes? 
Acorde é a escrita ou execução de duas (bicordes) ou mais notas (tríades e etc.) juntas.
As tríades são formadas por uma sequencia de tônica (primeira nota), terça (terceira nota) e quinta (quinta nota) da escala do nome do acorde.
Seguindo o exemplo mais simples da escala de dó maior abaixo:
Dó, Ré, Mi, Fá, Sol, Lá, Si.
Teremos assim: Dó (tônica), Mi (terça maior), Sol (quinta).
Formamos então um acorde maior, o que define se um acorde é maior ou menor é a sua terça.
Ex: Acorde de Dó Maior: Dó, Mi, Sol.
Ex: Acorde de Dó Menor: Dó, Mib, Sol


Aqui em baixo vou postar uma tabela de escalas maiores onde a tônica, terça maior e quinta de cada escala estão de cor vermelha e o tom da escala está em
.  Daí você vai olhando e vendo quais notas formam os acordes desejados por você. Lembrando que pra formar a terça menor, ou seja, volta-la meio tom atrás na escala cromática. Não sei se ficou fácil de mais ou complicado demais, mas isso ae é a base pra muita coisa, é meio necessário saber isso para obter certa fluência no que faz na guitarra e no violão.


O Violão e o Violonista





Aula 1

O que é um Violão ?  

O que é um Violonista ? Se voce consegue responder a essas duas perguntas ja nao pode se dizer que nao sabe nada rss


     Brincadeiras a parte antes de começar o estudo propriamente dito, devemos aprender a nomenclatura das partes do violão para que possamos conhecer os termos que serão utilizados nas nossas aulas e então possamos falar a mesma língua. Se voce achar que ta dificil , assista aos videos no youtube , digite : VIOLAO AGORA OU NUNCA ... algumas pessoas aprendem mais com videos , aqui desejamos enriquecer ainda mais o aprendizado ok ? Por favor inscreva-se em nosso canal no Youtube para ficar por dentro dos videos novos que postamos ! OBRIGADO!


O esquema abaixo mostra o violão e os nomes de suas partes:



De posse desta informação , passemos para a nomenclatura das cordas e sua afinação :


 

              

           Assista ao video da afinação  de cada corda :



            Assista ao primeiro video de aula de violão :




Partes da música/ Propriedades do som.

Definições.


Música – É a arte do som. É dividida em três partes:

Ritmo – Do grego Rhytmos que quer dizer aquilo que possui Movimento. O ritmo é o próprio movimento, e é encontrado em tudo que se movimenta. Você, por exemplo, ao caminhar, possui certo ritmo, às vezes mais rápido, as vezes mais lento (dependendo da sua pressa!).
O Ritmo é a parte mais elementar da música, portanto, não pode haver música, se não houver ritmo.

Melodia - É uma seqüência de sons sucessivos, isto é, um após o outro, que possuem sentido musical. Quando você assobia uma música, por exemplo, o que você está assobiando é na verdade somente parte da música, a sua melodia, destituída de seu acompanhamento.
A melodia não pode ser separada do ritmo, pois já o contém em si própria, porém não é uma parte tão fundamental quanto o ritmo, visto que há músicas que não possuem melodia.

Harmonia - É a parte da música que estuda as notas tocadas ao mesmo tempo, ou seja, os acordes (três ou mais notas tocadas ao mesmo tempo) que acompanharão a melodia.
Seu estudo é fundamental para o violonista, pois o violão é essencialmente um instrumento com grandes possibilidades harmônicas e melódicas, contudo, existem músicas que não possuem harmonia, sendo constituídas apenas de ritmo e melodia.


Já que música é a arte do som, convém estudarmos agora o som, e suas propriedades físicas, pois o som é a matéria prima da música.

Som – O som é vibração, ou seja, para que haja som é necessário que haja um corpo vibratório e um meio através do qual esta vibração possa se propagar de forma que chegue aos nossos ouvidos. São divididos em sons musicais (regulares) e ruídos (irregulares).
Pode-se dizer, que todo instrumento musical é na realidade um objeto feito para vibrar. Ao vibrar, o instrumento movimenta as moléculas de ar ao seu redor (meio de propagação) que por sua vez movimenta as moléculas adjacentes formando o que chamamos de onda sonora, que se propaga do corpo vibratório em todas as direções.
Alguns autores costumam definir o som como sendo tudo aquilo que nossos órgãos auditivos são capazes de captar e classificar, porem, esta afirmação não é totalmente correta, já que existem sons localizados em faixas de freqüência acima (ultra – som) e abaixo (infra – som) da faixa de freqüências que o nosso ouvido é capaz de perceber. Estes sons só podem ser detectados por seres humanos, através de aparelhos eletrônicos. Sabe-se também, que alguns animais como os cães e os morcegos, possuem uma audição sensivelmente mais desenvolvida que a audição humana sendo capazes de perceber sons que vão do infra ao ultra-som.
O som possui quatro propriedades físicas, muito importantes do ponto de vista musical, são elas:

Altura – Propriedade que permite ao som ser grave, médio ou agudo – Está relacionada a freqüência da vibração, medida em hertz (Hz) – (ciclos por segundo).
Quanto menor a freqüência, mais grave é o som. Do mesmo modo, quanto mais alta for a freqüência de uma nota, mais agudo será o seu som.

Duração – Quantidade de tempo que um corpo sonoro permanece vibrando. Se você ferir uma corda do violão, verá que ela permanecerá vibrando por algum tempo antes de parar completamente. A esse lapso de tempo damos o nome de duração.

Intensidade – Força utilizada para produzir determinado som. Quando tocamos uma corda com mais força, ela faz um movimento mais amplo (Maior Amplitude de movimento), conseqüentemente, movimenta uma quantidade maior de ar, produzindo um som com maior volume. Intensidade = Volume

Timbre – Qualidade específica de cada som que o torna único. É a identidade do som.
Se você já teve a oportunidade de tocar vários violões diferentes, já deve ter percebido que nenhum violão possui som igual ao outro. Assim como as vozes das pessoas são diferentes, os sons dos instrumentos possuem diferenças. Experimente tocar um violão equipado com cordas de aço, e um com cordas de nylon, mesmo que você toque as mesmas notas, ainda assim o som será diferente. A diferença é o timbre.
O timbre é talvez a propriedade mais importante de um som, do ponto de vista musical. É por causa dele que existem tantos instrumentos musicais diferentes. O fato é que se o som do violão fosse igual ao do violino, não haveria razão para que ambos existissem. Apenas um deles bastaria.

Agora podemos entender que um som "isolado" é uma nota e que nos temos o nome de TODAS as notas aqui abaixo :
      
Temos notas naturais : DO   RE   MI  FA   SOL   LA   SI
Temos notas acidentadas sustenidas "#" : Altera a nota natural 1 casa pro lado da boca do violao , ou seja 1 semitom ou meio tom(na teoria musical) que equivale a 1 casa
Temos notas acidentadas bemois "b" : Altera a nota natural 1 casa pra esquerda ou seja pro lado das tarrachas .

Sustenidos e bemois JUNTOS como voces podem ver eh como se a nota natural fosse sustenido "por parte de pai" e bemol "por parte de mae" , mas sendo que as pessoas preferem dar 1 so nome pras acidentadas e adivinhe qual eh?!? o SUSTENIDO .
                
           


MI e SI estao de vermelho pra chamar sua atencao de que nao temos espaco pra outra nota (a direita de MI e SI) e sim pulamos para a proxima nota natural , ok?

Aqui acima temos TODAS as notas , e nos nao vamos confundir nota e acorde , acorde eh um conjunto de notas , vamos falar sobre eles daqui a pouquinho . Costumo dizer que isso ai encima eh o "DNA" da musica e voce precisa das notas pra quase todos os instrumentos que for tocar .
Abaixo temos as notas em forma de cifra no braco do violao .

O esquema acima esta VISIVELMENTE integrado as teclas de um piano POR EXEMPLO :





Cifra é uma forma de escrita musical que associa as sete notas musicais às sete primeiras letras maiúsculas do nosso alfabeto. Hoje em dia a cifra é mais utilizada para a escrita dos acordes (duas ou mais notas tocadas ao mesmo tempo) e além das letras maiusculas, utiliza também letras minúsculas, números e sinais.



CLIQUE NO DESENHO DO VIOLAO PARA AUMENTA-LO DE TAMANHO OU FACA COMO EU E PEGUE OS OCULOS rs
http://www.youtube.com/bruno.violaoagoracompleto